sábado, 28 de fevereiro de 2009

O que são herbanarios?








Royal Botanic Gardens
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.



Patrimônio Mundial da UNESCO
Jardins Botânicos de Kew
Exemplar exposto nos Jardins Botânicos de Kew

Jardins Botânicos Reais de Kew, Royal Botanic Gardens de Kew, Jardins de Kew ou Royal Botanic Gardens de Kew, é um dos mais extensos, antigos e prestigiosos jardins botânicos do mundo. Os Kew Gardens, como em geral são conhecidos, constituem um grande complexo de jardins, arboretos e estufas situados num vasto parque localizado entre Kew e Richmond upon Thames, na periferia sudoeste de Londres. Os jardins foram desde a sua origem dirigidos por naturalistas de renome mundial, contando-se entre os seus antigos directores botânicos célebres como William Aiton e Joseph Dalton Hooker. O actual director é Sir Peter Crane.


História

Os Kew Gardens tiveram a sua origem nos jardins exóticos mandados plantar por Lord Capel of Tewkesbury, na grande propriedade que então era conhecido por Kew Park. Passados alguns anos, os jardins foram ampliados e engrandecidos por iniciativa da princesa Augusta de Saxe-Gota, a viúva do príncipe Frederick de Gales.

Nesta fase foram construídas diversas estruturas, concebidas pelo arquitecto Sir William Chambers, entre as quais o conhecido pagode chinês, concluído em 1761 e ainda hoje uma das maiores atracções do parque.

Por iniciativa do rei George III a diversidade de plantas presente nos jardins foi enriquecida, tendo para tal recorrido ao talento e saber de alguns dos melhores botânicos da época, nomeadamente William Aiton e Sir Joseph Banks. O antigo Kew Park (então rebaptizado a White House) foi demolido em 1802. Para alargar o parque, George III adquiriu em 1781 a propriedade anexa, então denominada Dutch House, nela instalando um jardim-de-infância para as crianças da família real. O edifício, em tijolo vermelho, é hoje conhecido por Kew Palace.

Em 1840 os jardins foram instituídos como Jardins Botânicos Nacionais, passando a ter objectivos essencialmente voltados para a investigação cientifica e tecnológica nas áreas da botânica, sistemática e da jardinagem. Sob a direcção do director então nomeado, William Hooker, os jardins foram alargados para 30 ha e a zona de lazer e estudo das árvores, o arboreto, atingiu os 109 ha de área, sendo posteriormente progressivamente alargados até atingir os actuais 120 ha.
A Palm House, uma das estruturas mais antigas e emblemáticas dos Kew Gardens.


O Princess of Wales Conservatory.

No século XIX foram desenvolvidos com sucesso nos jardins de Kew a investigação que permitiu conhecer a forma de propagação da árvore-da-borracha, abrindo caminha para a expansão da sua cultura para fora da América do Sul e acabando efectivamente com o virtual monopólio brasileiro na produção de borracha.

Em mais um importante passo no crescimento e consolidação dos Kew Gardens, em 1987 foi concluído um novo complexo de estufas, o terceiro maior dos jardins, então baptizado Princess of Wales Conservatory e inaugurado pela princesa Diana de Gales. O nome do complexo de estufas homenageia a predecessora no título, Augusta de Saxe-Gota, a fundadora do Parque de Kew. O novo complexo de estufas alberga plantas provenientes de 10 zonas bio-climáticas diferentes.

Em Julho de 2003, os Reais Jardins Botânicos de Kew foram incluídos nas lista dos sítios considerados como património mundial pela UNESCO.

Você pode fazer um tour em Kew no link:

http://www.explore-kew-gardens.net/

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Wikipedia lança versão em lingua guarani






No texto abaixo será possível comprender porque a Wikipedia lançou versão na lingua guarani, quem usa e usou essa lingua e qual a sua importancia em nosso pais.


Wikipédia lança versão em língua guarani



A Wikipédia, enciclopédia online mais consultada no mundo, adicionou o idioma indígeno guarani à sua extensa lista de 264 línguas disponíveis, informou a agência de notícias IPP, do governo paraguaio.

» Futuro da internet se desenha em muitas línguas
» "Wikipédia é confiável", diz especialista
» Internautas doam US$ 6 mi para manter Wikipédia gratuita

O guarani é falado por cerca de 80% dos seis milhões de habitantes do Paraguai. Ele tem sua origem nos índios guaranis que habitavam a região, e foi transformado em língua escrita por sacerdotes jesuítas durante a colonização espanhola.

A Wikipédia é um projeto da Fundação Wikimedia, uma organização sem fins lucrativos, com o objetivo de criar uma "enciclopédia livre e poliglota".

Os mais de 11 milhões de artigos da Wikipédia - dos quais 2,6 milhões são em inglês - foram escritos de forma colaborativa por voluntários do mundo todo, e praticamente todos eles podem ser editados por qualquer internauta.

Lançada em janeiro de 2001 por Jimmy Wales e larry Sanger, ela é atualmente a maior e mais popular fonte de consulta na internet, segundo informações da AFP.

A versão em guarani pode ser acessada pelo endereço http://gn.wikipedia.org/wiki/Ape.

O guarani é a língua indígena do sul da América do Sul, falada pelos povos desta etnia, pertencentes ao grupo maior dos tupis-guaranis que habitavam a região desde épocas remotas.

Uma variante mais abrangente (a língua tupi) foi usada pelos colonizadores portugueses desde o descobrimento até boa parte do século XVIII como a principal língua no sul do Brasil, e acabou influenciando fortemente a língua portuguesa falada no Brasil à qual legou vários vocábulos, preponderantemente na toponímia (designação de lugares v.g. Paraná, Ivaí, Paraguai, Piraí, Guamirim, etc).
A língua geral paulista é uma língua crioula formada à época dos bandeirantes paulistas no Brasil Colônia.

Originária da língua dos índios tupinambás localizados nas regiões paulistas da Região do Alto Tietê e São Vicente, passou a ser falada pelos bandeirantes a partir do século XVII, disseminando-se rapidamente por boa parte do Brasil. Dessa forma, tal idioma tornou-se corrente em locais onde esses tupinambás jamais estiveram, influenciando o modo de falar dos brasileiros. No tempo colonial, tornou-se a língua mais falada na porção meridional Brasil, em muitos casos sendo necessário um intérprete entre a autoridade colonial portuguesa e o povo. Em fins do século XVIII, a coroa portuguesa, sob a gestão do marquês de Pombal, proibiu o seu uso, punindo severamente quem a utilizasse, impondo-se o idioma português.
Língua tupi
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tupi
Nomes alternativos: Tupi antigo, tupi clássico, tupi da costa, tupinambá, tupi bárbaro, tupiniquim, língua brasílica, língua do Brasil, língua da costa, língua do mar, língua túpica, abanhe'enga
Falado em: Brasil (extinto)
Total de falantes nativos: 0
Classificação lingüística:

Proto-Tupi
Tupi
Tupi-Guarani
Subgrupo III
Tupi
Línguas descendentes: Língua Geral Paulista (extinta), Nheengatu (Tupi Moderno)
Estatuto oficial: não tem
Código de Línguas
ISO 639-1: não tem
ISO 639-2: sai
SIL: TPN

O tupi é uma língua indígena extinta, originária do povo tupinambá, que teve sua gramática estudada pelos jesuítas, e que deu origem a dois dialetos, hoje considerados línguas independentes: a língua geral paulista, e o nheengatu (língua geral amazônica). Esta última ainda é falada até hoje na Amazônia.

Vários nomes tupis que encontramos na geografia brasileira, nas denominações dos animais, plantas etc., são quase sempre descrições das coisas a que se referem e envolvem uma explicação inteira. Cada palavra é uma verdadeira frase, o que, aliás, é um dos grandes prazeres do estudo da língua. Decifrar o significado das palavras, recorrendo, inclusive, a uma visita ao local. Um bom exemplo disso é: Paranapiacaba = paraná + epiak + -(s)aba, "mar" + "ver" + "lugar onde" = "lugar de onde se vê o mar".

A língua tupi é aglutinante, não possui artigos (assim como o latim) e não flexiona em gênero nem em número.

Hans Staden (filme)

Brasil Brasil / Portugal Portugal

1999 ı cor ı 92 min
Direção Luiz Alberto Pereira

Idioma tupi / português / alemão
IMDb

Hans Staden é um filme brasileiro e português de 1999, do gênero drama, dirigido por Luiz Alberto Pereira.
Sinopse

O filme narra a história do soldado e marinheiro alemão Hans Staden que, no início do século XVI, foi capturado por uma tribo indígena brasileira, os Tupinambá, que eram inimigos dos colonizadores portugueses.

sábado, 21 de fevereiro de 2009

O menino da porteira

O Menino Da Porteira
Sérgio Reis

Composição: Teddy Vieira / Luizinho

Toda vez que eu viajava pela Estrada de Ouro Fino
de longe eu avistava a figura de um menino
que corria abrir a porteira e depois vinha me pedindo:
- Toque o berrante seu moço que é pra eu ficar ouvindo.

Quando a boiada passava e a poeira ia baixando,
eu jogava uma moeda e ele saía pulando:
- Obrigado boiadeiro, que Deus vá lhe acompanhando
pra aquele sertão à fora meu berrante ia tocando.

Nos caminhos desta vida muitos espinhos eu encontrei,
mas nenhum calou mais fundo do que isso que eu passei
Na minha viagem de volta qualquer coisa eu cismei
Vendo a porteira fechada o menino não avistei.

Apeei do meu cavalo e no ranchinho a beira chão
Ví uma mulher chorando, quis saber qual a razão
- Boiadeiro veio tarde, veja a cruz no estradão!
Quem matou o meu filhinho foi um boi sem coração!

Lá pras bandas de Ouro Fino levando gado selvagem
quando passo na porteira até vejo a sua imagem
O seu rangido tão triste mais parece uma mensagem
Daquele rosto trigueiro desejando-me boa viagem.

A cruzinha no estradão do pensamento não sai
Eu já fiz um juramento que não esqueço jamais
Nem que o meu gado estoure, e eu precise ir atrás
Neste pedaço de chão berrante eu não toco mais.


quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

O Pássaro Raro


O Pássaro Raro, Jostein Gaarder


"O Pássaro Raro" é um livro escrito por Jostein Gaarder[bb], o mesmo autor de "O Mundo de Sofia", no ano de 1986. Originalmente chamado de Diagnosen og andre noveller, ou em tradução livre: "O Diagnóstico e outras histórias".O livro traz dez histórias que possuem uma única semelhança: pessoas que se dão conta da verdade, que param para pensar no mundo, na sua própria existência, de forma profunda, em dado momento da vida, eis que nesta hora, o Pássaro Raro pousou no seu ombro. Entre cada história existe um pequeno texto, escrito de forma poética, que antecipa e prepara o leitor para o texto, e que pode sempre servir para longas pausas filosóficas. São obras de ficção científica, romances e dramas, entre outros estilos.
Texto: Wikipédia

Texto e foto extraidos do megaalexandriae-books

Você pode fazero download desse livro no blog acima.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Carta do chefe Seattle







Quem é o dono do ar e do resplendor da agua?


O grande chefe de Washington mandou dizer que deseja comprar a nossa terra. O grande chefe assegurou-nos também de sua amizade e benevolencia. Isto é gentil da parte dele, pois sabemos que ele não necessita da nossa amizade. Porém, vamos pensar em sua oferta, pois sabemos que se não o fizermos, o homem branco virá com armas e tomará nossa terra. O grande chefe em Washington pode confiar no que o chefe Seathl diz, com a mesma certeza com que nossos irmãos brancos podem confiar na alteração das estações do ano. Minha palavra é como as estrelas – elas não empalidecem.
Como podes comprar ou vender o céu, ocalor da terra? Tal ideia é-nos estranha. Nós não somos donos da pureza do ar ou do resplendor da agua. Como podes então comprá-los de nós? Decidimos apenas sobre o nosso tempo. Toda esta terra é sagrada para nosso povo. (…)
Se eu me decidir a aceitar, imporei uma condição. O homem branco deve tratar os animais como se fossem seus irmãos. Sou um selvagem e não compreendo que possa ser de outra forma. Vi milhares de bisões aprodecendo nas pradarias abandonados pelo homem branco que os abatia a tiros disparados do trem. Sou uma selvagem e não comprendo como um fumegante cavalo de ferro possa ser mais valioso do que um bisão que nós, indios, matamos apenas para sustentar a nossa propria vida. O que é o homem sem os animais? Se todos os animais acabassem, os homens morreriam de solidão espiritual, porque tudo quanto acontece aos animais pode também afetar os homens. Tudo está relacionado entre si. Tudo quanto fere a terra, fere também os filhos da terra. (…)


Trecho da carta do chefe indígena Seahl (Seattle), do povo suquamish (Noroeste dos EUA), ao presidente americano Franklin Pierce, enviada em 1854.( Carlos Aberto Faraco: Português: lingua e cultura.



Guerras indígenas nos Estados Unidos da América
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


As guerras indígenas nos Estados Unidos da América são o conjunto de guerras opondo os colonos europeus, e depois os estado-unidenses, aos povos ameríndios da América do Norte de 1778 a 1890. Apesar de nenhuma guerra ter sido oficialmente declarada pelo congresso, o exército esteve constantemente em guerra contra esses povos a partir de 1778. Elas se prolongaram durante o século XIX através de violências e massacres de ambos os lados.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Um conto divertido


O Homem que queria eliminar a memória

Entrou no hospital, mandou chamar o melhor neurocirurgião. Disse que era caso de vida e morte. Não se sabe como, o melhor neurocirurgião foi atendê-lo. Médicos são imprevisíveis. Precisa-se muito e eles falham; subitamente estão ali, salvando nossas vidas, ele pensou, sem se incomodar com o lugar comum.
Estava na sala diante do doutor. Uma sala branca, anônima. Por que são sempre assim, derrotando a gente logo na entrada.
O médico:
Sim?
Quero me operar. Quero que o senhor tire um pedaço do meu cérebro.
Um pedaço do cérebro? Por que vou tirar um pedaço do seu cérebro?
Porque eu quero.
Sim, mas precisa explicar. Justificar.
Não basta eu querer?
Claro que não.
Não sou dono do meu corpo?
Em termos.
Como em termos?
-Bem, o senhor é e não é. Há certas coisas que o senhor está impedido de fazer. Ou melhor: eu é que estou impedido de fazer no senhor.
Quem impede?
A ética, a lei.
- A sua ética manda também no meu corpo? Se pago, se quero, é porque quero fazer do meu corpo aquilo que desejo. E se acabou.
-Olha, a gente vai ficar o dia inteiro nessa discussão boba. E não tenho tempo a perder. Por que o senhor quer cortar um pedaço do cérebro?
Quero eliminar a minha memória.
Para que?
Gozado, as pessoas só sabem perguntas: o quê? Por quê? Para quê? Falei com dezenas de pessoas e todos me perguntaram: por quê? Não podem aceitar pura e simplesmente alguém que deseja eliminar a memória.
Já que o senhor veio a mim para fazer esta operação, tenho ao menos o direito dessa informação.
Não quero mais me lembrar de nada. Só isso. As coisas passaram, passaram. Fim!
- Não é tão simples assim. Na vida diária, o senhor precisa da memória. Para lembrar pequenas coisas. Ou grandes. Compromissos, encontros, coisas a pagar etc.
É tudo isso que vou eliminar. Marco numa agenda, olho ali e pronto.
Não dá para fazer isso, de qualquer modo. A medicina não está tão adiantada assim.
Em lugar nenhum eu posso eliminar a minha memória?
Que eu saiba não.
Seria muito melhor para os homens. O dia-a-dia. O dia de hoje para a frente. Entende o que eu quero dizer? Nenhuma lembrança ruim ou boa, nenhuma neurose. O passado fechado, encerrado. Definitivamente bloqueado. Não seria engraçado? Não se lembrar sequer do que tomou no café da manhã? E para que quero me lembrar do que tomei no café da manhã?
Se todo mundo fizesse isso, acabaria a história.
E quem quer saber de história?
Imaginou o mundo?
Feliz, tranqüilo. Só de futuro. O dia em vez de se transformar em passado de hoje, mudando-se em futuro. Cada instante projetado para a frente.
Não seria bem assim. Teríamos apenas uma soma de instantes perdidos. Nada mais. Cada segundo eliminado. A sua existência comprovada através do quê?
Quem quer comprovar a existência?
A gente precisa. Para quê?
O médico pensou. Não conseguiu responder. O homem tinha-o deixado totalmente confuso. Pediu ao homem que voltasse outro dia. Despediram-se. O médico subiu para os brancos corredores do hospital, passou pela sala de operações. Chamou um amigo.
-Estou pensando em tirar um pedaço do meu cérebro. Eliminar a memória. O que você acha?
-Muito boa idéia. Por que não pensamos nisto antes? Opero você e depois você me opera. Também quero.


Ignácio de Loyola Brandão. Para gostar de ler. Volume 8. Contos. São Paulo: Ática, 1983, pp.14,15 e 16.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Beatrix Potter








A mulher que desenhava e escreveu lindos livros infantis

Beatrix Potter começou a desenhar aos nove anos de idade. Sua familia não levava a serio suas tendencias artísticas e, como naquela época, na Inglaterra da rainha Victoria a mulher só podia casar, Beatrix vivia atormentada por sua mãe que sempre lhe apresentava muitos pretendentes. Seu amigo Canon Rawnsley era o irmão mais novo dos donos de uma editora e era um grande fã de Beatrix. Ele pediu que elafizesse alguns cartões de natal, que foram um grande sucesso. Depois, criou seu personagem Peter Rabbit e mandou editar um livro e assim começou seu sucesso.
Canon e Beatrix pretendiam se casar, porém sua familia era contra o casamento. Assim, foi para o campo onde sempre passava os verões em uma chácara de propriedade dos pais, e algum tempo depois recebeu a noticia da morte de Canon. Como, nesse momento, tinha ficado muito rica, mudou-se para o campo e passou a comprar propriedades
para salvá-las das industrias que estavam destruindo a zona rural. Encontrou um amigo de infancia e junto com ele, após seu casamento, dedicou-se a proteger a natureza.
Algumas partes de suas terras foram compradas pelo governo para preservação como a quinta de Hill Top e, outras partes, foram doadas a organizações não governamentais que cuidam da sua preservação até hoje.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Berlin-Gaza











Cuál es la diferencia?... (Berlin-Gaza)
"Reproduzca esta información, hágala circular por los medios a su alcance: a mano, a máquina, a mimeógrafo, oralmente. Mande copias a sus amigos: nueve de cada diez las estarán esperando. Millones quieren ser informados. El terror se basa en la incomunicación. Rompa el aislamiento. Vuelva a sentir la satisfacción moral de un acto de libertad. Derrote el terror. Haga circular esta información”.




Rodolfo Walsh, ANCLA (Agencia de Noticias Clandestina), 1976


As fotos acima, dentre outra, estão circulando na internet, acho que é direito de todos ter conhecimento dos fatos que estão por trás das fotos.

Para fazer download de livros e muito mais

http://br.youtube.com/results?search_query=sadrak7f&search_type=

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Os livros mais vendidos


FICÇÃO NÃO-FICÇÃO AUTOAJUDA E ESOTERISMO (vejaonline)
1
Eclipse
Stephenie Meyer [1 | 3] INTRÍNSECA

1
Comer, Rezar, Amar
Elizabeth Gilbert [1 | 44] OBJETIVA

1


Vencendo o Passado
Zibia Gasparetto [1 | 9] VIDA & CONSCIÊNCIA
2


A Cabana
William Young [4 | 22] SEXTANTE

2
Marley & Eu
John Grogan [2 | 120*] PRESTÍGIO

2


O Código da Inteligência
Augusto Cury [2 | 12] THOMAS NELSON BRASIL
3


Crepúsculo
Stephenie Meyer [3 | 36*] INTRÍNSECA

3


Gomorra
Roberto Saviano [3 | 5] BERTRAND BRASIL

3


O Monge e o Executivo
James Hunter [3 | 208] SEXTANTE
4


Lua Nova
Stephenie Meyer [2 | 17] INTRÍNSECA

4


Uma Breve História do Mundo
Geoffrey Blainey [4 | 54*] FUNDAMENTO

4


Quem Me Roubou de Mim?
Fábio de Melo [5 | 11] CANÇÃO NOVA
5


O Vendedor de Sonhos
Augusto Cury [5 | 30] ACADEMIA DE INTELIGÊNCIA

5


Mentes Perigosas
Ana Beatriz Barbosa Silva [6 | 11*] FONTANAR

5


O Segredo
Rhonda Byrne [7 | 89] EDIOURO
6


O Menino do Pijama Listrado
John Boyne [7 | 6*] COMPANHIA DAS LETRAS

6


1808
Laurentino Gomes [5 | 69] PLANETA

6


Nunca Desista de Seus Sonhos
Augusto Cury [8 | 179*] SEXTANTE
7


A Menina que Roubava Livros
Markus Zusak [6 | 97] INTRÍNSECA

7


Uma Breve História do Século XX
Geoffrey Blainey [8 | 11] FUNDAMENTO

7


Casais Inteligentes Enriquecem
Juntos
Gustavo Cerbasi [4 | 144*] GENTE
8


A Cidade do Sol
Khaled Hosseini [0 | 57*] NOVA FRONTEIRA

8


1001 Filmes para Ver Antes de Morrer
Steven Jay Schneider [10 | 6] SEXTANTE

8


Eles Continuam entre Nós
Zibia Gasparetto [6 | 23] VIDA & CONSCIÊNCIA
9


O Caçador de Pipas
Khaled Hosseini [0 | 158*] NOVA FRONTEIRA

9


Fazendo as Malas
Danuza Leão [9 | 8] COMPANHIA DAS LETRAS

9


Os Segredos da Mente Milionária
T. Harv Eker [9 | 97*] SEXTANTE
10


Os Contos de Beedle, o Bardo
J.K. Rowling [8 | 7] ROCCO

10


Dewey
Vicki Myron e Bret Witter [0 | 12*] GLOBO

10


A Arte da Guerra
Sun Tzu [10 | 47*] VÁRIAS EDITORAS
11


A Sombra do Vento
Carlos Ruiz Zafón - OBJETIVA/SUMA DE LETRAS

11


Resistência
Agnès Humbert - NOVA FRONTEIRA

11


A Cabeça de Steve Jobs
Leander Kahney - AGIR
12


O Leitor
Bernhard Schlink - RECORD

12


Maysa: Só numa Multidão de Amores
Lira Neto - GLOBO

12


Investimentos Inteligentes
Gustavo Cerbasi - THOMAS NELSON BRASIL
13


Ensaio sobre a Cegueira
José Saramago - COMPANHIA DAS LETRAS

13


Aurélio Becherini
Rubens Fernandes Junior, Ângela C. Garcia
e José de Souza Martins - COSAC NAIFY

13


O que Toda Mulher Inteligente
Deve Saber
Steven Carter e Julia Sokol - SEXTANTE
14


O Guardião de Memórias
Kim Edwards - SEXTANTE

14


Operação Valquíria
Tobias Kniebe - PLANETA

14


O Poder do Agora
Eckhart Tolle - SEXTANTE
15


A Viagem do Elefante
José Saramago - COMPANHIA DAS LETRAS

15


A Cientista Que Curou Seu Próprio Cérebro
Jill Bolte Taylor - EDIOURO

15


Por que os Homens Fazem Sexo
e as Mulheres Fazem Amor?
Allan e Barbara Pease - SEXTANTE
16


O Jogo do Anjo
Carlos Ruiz Zafón - OBJETIVA/SUMA DE LETRAS

16


Doidas e Santas
Martha Medeiros - L&PM

16


Você é Insubstituível
Augusto Cury - SEXTANTE
17


O Ladrão de Raios
Rick Riordan - INTRÍNSECA

17


A Origem dos Meus Sonhos
Barack Obama - GENTE

17


Anticâncer
David Servan-Schreiber - FONTANAR
18


Laços de Pecado
Nora Roberts - BERTRAND BRASIL

18


O Carrasco do Amor
Irvin D. Yalom - EDIOURO

18


Pai Rico, Pai Pobre
Robert Kiyosaki e Sharon Lechter - CAMPUS/ELSEVIER
19


O Recurso
John Grisham - ROCCO

19


Muito Longe de Casa
Ishmael Beah - EDIOURO


19


Como Deus Cura a Dor
Mark W. Baker - SEXTANTE
20


Coração de Tinta
Cornelia Funke - COMPANHIA DAS LETRAS

20


Fora de Série
Malcolm Gladwell - SEXTANTE

20


Transformando Suor em Ouro
Bernardinho - SEXTANTE

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Júlio Verne e a ficção científica



Nasceu no dia 8 de fevereiro o famoso escritor Julio Verne: saiba quem foi ele:


Jules Verne (aportuguesado para Júlio Verne) (Nantes, 8 de Fevereiro de 1828 — Amiens, 24 de Março de 1905) foi um escritor francês.

Júlio Verne foi o filho mais velho dos cinco filhos de Pierre Verne, advogado (avoué), e Sophie Allote de la Fuÿe, esta de um família burguesa de Nantes. É considerado por críticos literários o precursor do gênero de ficção científica, tendo feito predições em seus livros sobre o aparecimento de novos avanços científicos, como os submarinos, máquinas voadoras e viagem à Lua.Cinq semaines en ballon (pt: Cinco semanas em balão / br: Cinco semanas em um balão) foi a primeira grande obra literária do escritor francês Júlio Verne, publicada pela primeira vez em 1863.

Como é comum em todas as obras de Verne, este livro relata uma grandiosa viagem, passada em meados do séc. XIX, que teve como finalidade a travessia do continente africano desde a costa oriental à costa ocidental (Zanzibar ao Senegal), usando como veiculo um balão de hidrogénio, o criador deste aparelho é o Dr. Fergusson de nacionalidade inglesa, que já sendo famoso pelas suas grandes expedições à volta do globo quer ir mais além. Ele conjuntamente com o seu criado Joe, e o seu grande amigo, o escocês Dick Kennedy, partem de Zanzibar, uma ilha na costa oriental de África com o intuito de atravessarem o continente segundo uma rota mais ou menos paralela à linha do equador, tendo como grandes objectivos a descoberta da nascente do grande rio Nilo e a descoberta da região central de África que na altura ainda era uma incógnita nas cartas geográficas de África.(texto extraido da Wikipedia)



http://jverneportugal.no.sapo.pt(site sobre Julio Verne)

Campanha da Avaaz


Apesar de pouco noticiado, centenas de milhares de civis estão presos no fogo cruzado da guerra civil no Sri Lanka. Eu acabei de enviar uma mensagem para a Secretária do Estado dos EUA Hillary Clinton pedindo para os EUA pressionarem o governo do Sri Lanka e os grupos rebeldes a garantirem a segurança da população civil. É muito fácil enviar uma mensagem, entre no site abaixo. O Departamento de Estado dos EUA concordou em apresentar a mensagens enviadas à Secretária do Estado Hillary Clinton. Participe desta campanha:

http://www.avaaz.org/po/sri_lanka_civilians/98.php?cl_tf_sign=1

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Japão caça ilegal

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Apresento a minha escritora de policiais preferida





Agatha Mary Clarissa Mallowan (Torquay, 15 de Setembro de 1890 — Wallingford, 12 de Janeiro de 1976), mundialmente conhecida como Agatha Christie, foi uma romancista policial britânica e autora de mais de oitenta livros. Seus livros são os mais traduzidos de todo o planeta, superados apenas pela Bíblia e pelas obras de Shakespeare. É conhecida como Duquesa da Morte, Rainha do Crime, dentre outros títulos.

Criou os famosos personagens Hercule Poirot, Miss Marple, Tommy e Tuppence Beresford e Parker Pyne.



Biografia

Nascida Agatha Mary Clarissa Miller em 15 de Setembro de 1890, Agatha Christie é conhecida pelo mundo como a Rainha do Crime[1]. Os seus livros venderam mais de um bilhão de cópias em inglês, além de outro bilhão, em línguas estrangeiras. Ela é a autora mais publicada de todos os tempos em qualquer idioma, somente ultrapassada pela Bíblia, e mais que Shakespeare. Ela é a autora de oitenta romances policiais e coleções de pequenas histórias, dezenove peças e seis romances escritos sob o nome de Mary Westmacott. Ela é, até hoje, conhecida como a Rainha do Crime e Duquesa da Morte, entre outros títulos. Agatha foi pioneira ao fazer com que os desfechos de seus livros fossem extremamente impressionantes e inesperados, sendo praticamente impossível ao leitor descobrir quem é o assassino.

Casou-se pela primeira vez em 1914, com o Coronel Archibald Christie, piloto do Corpo Real de Aviadores. O casal teve uma filha, Rosalind, e divorciou-se em 1928.

Durante a Segunda Guerra Mundial, Agatha trabalhou em um hospital e em uma farmácia, funções que influenciaram seu trabalho: muitos dos assassinatos em seus livros foram cometidos com o uso de veneno.

Em 1930, casou-se com o arqueólogo Sir Max Mallowan. Mallowan era 14 anos mais jovem que a escritora, e suas viagens juntos contribuíram com material para vários de seus romances situados no Oriente Médio. O casamento duraria até a morte da escritora.

Em 1971 ela recebeu o título de Dama da Ordem do Império Britânico.

Agatha Christie morreu em 12 de janeiro de 1976, aos 85 anos de idade, de causas naturais, em sua residência - Winterbrook, em Wallingford, Oxfordshire. Ela está enterrada no Cemitério da Paróquia de St. Mary, em Cholsey, Oxon.

A única filha da autora, Rosalind Hicks, morreu em 28 de outubro de 2004, também com 85 anos, de causas naturais. Os direitos sobre sua obra pertencem agora a seu neto, Mathew Prichard.

A autora e sua Obra

"Dentro de alguns anos, só quero ser lembrada como uma boa escritora de casos policiais." Diz ela. E é assim que Agatha Christie permanece na memória de seus fiéis leitores em todo o mundo. Os números dão conta de seu enorme prestígio: oitenta e seis livros traduzidos em cento e três idiomas, além de uma autobiografia e mais de trezentos e cinquenta milhões de exemplares vendidos até hoje. Natural de Torquay, Inglaterra, onde nasceu em 15 de setembro de 1890, a escritora foi batizada com o nome Agatha Mary Clarissa Miller. Passou a infância e a adolescência num ambiente quase recluso, pois sua mãe se encarregou de dar-lhe formação cultural, proibindo-a de freqüentar escolas públicas. Tinha trinta anos quando conseguiu publicar seu livro de estréia, O misterioso caso de Styles (1921). Agatha Christie criou dois tipos inesquecíveis: o detetive belga Hercule Poirot, com suas prodigiosas celulazinhas cinzentas no cérebro, e Miss Marple, uma solteirona simpática, observadora sagaz e tão cerebral quanto o detetive belga. Antes de morrer, em 12 de janeiro de 1976, cuidou também de preparar a morte de Miss Marple; e voltou a mansão Styles, cenário de seu primeiro livro, para encerrar a carreira de Poirot em Cai o pano.

Fonte: Livro "Morte no Nilo" de Agatha Cristie.


O primeiro romance de Agatha Christie, O Misterioso Caso de Styles, foi escrito no final da Primeira Guerra Mundial, durante a qual ela trabalhou como enfermeira. Nele criou Hercule Poirot, o pequeno detetive belga que mais tarde se tornaria o personagem de crimes de ficção mais popular só superado por Sherlock Holmes. Foi publicado em 1920.

O Assassinato de Roger Ackroyd

Em 1926, após uma média de um livro por ano, Agatha Christie escreveu a sua obra-prima: O Assassinato de Roger Ackroyd. Este foi o primeiro dos seus livros a ser publicado pela editora Collins, e marcou o início de um relacionamento autor-editor que durou 50 anos e 70 livros. O Assassinato de Roger Ackroyd também foi o primeiro dos livros de Agatha Christie a ser dramatizado – sob o nome de Álibi – e a fazer sucesso no West End de Londres. A Ratoeira, a sua peça mais famosa, estreou em 1952 e é a peça de maior duração em cartaz da história. Ainda é encenada, no mesmo teatro de Londres, desde então.

Ordem do Império Britânico

Agatha Christie tornou-se Dama da Ordem do Império Britânico em 1971. Morreu em 1976, e desde então vários livros seus foram publicados pós-morte: o romance de sucesso Um Crime Adormecido apareceu mais tarde naquele ano, seguido pela sua autobiografia e pela coleção de pequenas histórias Os Casos Finais de Miss Marple, Problem at Pollensa Bay e Enquanto Houver Luz. Em 1998, Café Preto foi a primeira das suas peças a ser adaptada para o teatro por outro autor, Charles Osborne.

[editar] O Caso dos Dez Negrinhos

Um dos seus livros mais famosos, "O Caso dos Dez Negrinhos" (Ten Little Niggers) - cujo título se baseia numa cantiga infantil tradicional de Inglaterra - causou muita polémica na época em que foi publicada nos Estados Unidos devido a preocupações com acusações de racismo; por esse motivo, edições mais recentes receberam o título "Then There Were None" (Então Não Sobrou Nenhum). No Brasil, permanece o título original.

[editar] Cai o Pano
Info Aviso: Este artigo ou seção contém revelações sobre o enredo (spoilers).

O livro "Cai o Pano", narrando a última aventura de Hercule Poirot, foi publicado um pouco antes da sua morte. Agatha disse, quando publicou a história, que preferia matar o seu personagem mais famoso para evitar publicações que ela não aprovaria, após a sua morte. Tanto "Cai o Pano" como "Um Crime Adormecido", o último livro da personagem Miss Marple, haviam sido escritos na década de 1940, devido à preocupação da autora em não sobreviver à Segunda Guerra Mundial - e também como uma forma de assegurar uma adicional fonte de renda para seu marido e sua filha, a quem ela legou os direitos sobre as obras - e ficaram guardados durante décadas no cofre de um banco.

Obras

[editar] Romances e Contos
Título original Título no Brasil Título em Portugal Ano*
The Mysterious Affair at Styles O Misterioso Caso de Styles A Primeira Investigação de Poirot 1920
The Secret Adversary O Inimigo Secreto O Adversário Secreto 1922
The Murder on the Links Assassinato no Campo de Golfe Poirot o Golfe e o Crime 1923
The Man in the Brown Suit O Homem do Terno Marrom O Homem do Fato Castanho 1924
Poirot Investigates (11 contos - Grã-Bretanha); 14 - EUA) Poirot Investiga As Investigações de Poirot 1924
The Secret of Chimneys O Segredo de Chimneys O Segredo de Chimneys 1925
The Murder of Roger Ackroyd O Assassinato de Roger Ackroyd O Assassinato de Roger Ackroyd 1926
The Big Four Os Quatro Grandes As Quatro Potências do Mal 1927
The Mystery of the Blue Train O Mistério do Trem Azul O Mistério do Comboio Azul 1928
Partners in Crime (15 contos) Sócios no Crime O Homem que era o nº 16 1929
The Seven Dials Mystery O Mistério dos Sete Relógios O Mistério dos Sete Relógios 1929
The Murder at the Vicarage Assassinato na Casa do Pastor Encontro com um Assassino 1930
The Mysterious Mr. Quin (12 contos) O Misterioso Sr. Quin O Misterioso Mr. Quin 1930
Behind The Screen (Com outros autores) O Cadáver Atrás do Biombo 1930
The Scoop (Com outros autores) Um Furo Jornalístico 1931
The Floating Admiral (Com outros autores) A Morte do Almirante 1931
The Sittaford Mystery O Mistério de Sittaford O Mistério de Sittaford 1931
Peril at End House A Casa do Penhasco A Diabólica Casa Isolada 1932
The Hound of Death (12 Contos) O Cão da Morte Testemunha de Acusação 1933
Lord Edgware Dies Treze à Mesa A Morte de Lorde Edgware 1933
The Thirteen Problems (13 contos) Os Treze Enigmas Os Treze Problemas 1933
Murder on the Orient Express Assassinato no Expresso do Oriente Um Crime no Expresso do Oriente 1934
Parker Pyne investigates (12 contos) O Detetive Parker Pyne Parker Pyne Investiga 1934
The Listerdale Mystery (10 contos) O Mistério de Listerdale O Mistério de Listerdale 1934
Why Didn't They Ask Evans? Por que Não Pediram à Evans? Perguntem a Evans 1934
Three Act Tragedy Tragédia em Três Atos Tragédia em Três Actos 1935
Death in the Clouds Morte nas Nuvens Morte nas Nuvens 1935
The A.B.C. Murders Os Crimes ABC Os Crimes do ABC 1936
Murder in Mesopotamia Morte na Mesopotâmia Assassínio na Mesopotâmia 1936
Cards on the Table Cartas na Mesa Cartas na Mesa 1936
Murder in the Mews (4 novelas) Assassinato no Beco Crime nos Estábulos 1937
Death on the Nile Morte no Nilo O Barco da Morte 1937
Dumb Witness Poirot Perde uma Cliente Poirot Perde uma Cliente 1937
Appointment with Death Encontro com a Morte Morte entre as Ruínas 1938
Ten Little Niggers/And Then There Were None (o primeiro título é o da Grã-Bretanha e o segundo, dos EUA) O Caso dos Dez Negrinhos Convite para a Morte / As Dez Figuras Negras 1939
Murder is Easy É Fácil Matar Matar é Fácil 1939
Hercule Poirot's Christmas O Natal de Poirot O Natal de Poirot 1938
The Regatta Mystery and Other Stories (9 Contos) O Misterio da Regata e Outras Histórias O Mistério da Regata e Outras Histórias 1939
Sad Cypress Cipreste Triste Poirot Salva o Criminoso 1940
Evil Under the Sun Morte na Praia As Férias de Poirot 1941
N or M? M ou N? Tempo de Espionagem 1941
One, Two, Buckle My Shoe Uma Dose Mortal Os Crimes Patrióticos 1940
The Body in the Library Um Cadaver na Biblioteca Um Corpo na Biblioteca 1942
Five Little Pigs Os Cinco Porquinhos Poirot Desvenda o Passado 1943
The Moving Finger A Mão Misteriosa O Enigma das Cartas Anónimas 1942
Towards Zero Hora Zero Contagem Zero 1944
Sparkling Cyanide Um Brinde de Cianureto À Saúde da... Morte 1945
Death Comes as the End E no Final a Morte Morrer não é o Fim 1945
The Hollow A Mansão Hollow Poirot, o Teatro e a Morte 1946
The Labours of Hercules (12 contos) Os Trabalhos de Hércules Os Trabalhos de Hércules 1947
Taken at the Flood Seguindo a Correnteza Arrastado na Torrente 1948
Witness For The Prosecution and Other Stories (11 contos - só EUA) Testemunha de Acusação 1948
Crooked House A Casa Torta A Ultima Razão do Crime 1949
Three Blind Mice and Other Stories (9 contos - só EUA)) Os Três Ratos Cegos e Outras Histórias A Ratoeira(ou Três Ratos Cegos) e Outras histórias 1950
A Murder is Announced Convite para um Homicídio Participa-se um Crime 1950
They Came to Baghdad Aventura em Bagdá Encontro em Bagdade 1951
They Do it with Mirrors Um Passe de Mágica Jogo de Espelhos 1952
Mrs McGinty's Dead A Morte da Sra. McGinty Poirot contra a Evidência 1952
A Pocket Full of Rye Cem Gramas de Centeio Centeio que Mata 1953
After the Funeral Depois do Funeral Os Abutres 1953
Hickory Dickory Dock Morte na Rua Hickory Poirot e os Erros da Dactilógrafa 1955
Destination Unknown Um Destino Ignorado Destino Desconhecido 1954
Dead Man's Folly A Extravagância do Morto Poirot e o Jogo Macabro 1956
4.50 from Paddington A Testemunha Ocular do Crime O Estranho Caso da Velha Curiosa 1957
Ordeal by Innocence Punição para a Inocência Cabo da Víbora 1958
Cat Among the Pigeons Um Gato Entre os Pombos Poirot e as Jóias do Príncipe 1959
The Adventure of the Christmas Pudding (6 contos) A Aventura do Pudim de Natal A Aventura do Pudim de Natal 1960
The Pale Horse O Cavalo Amarelo O Cavalo Pálido 1961
The Mirror Crack'd from Side to Side A Maldição do Espelho O Espelho Quebrado 1962
The Clocks Os Relógios Poirot e os 4 Relógios 1963
A Caribbean Mystery Mistério no Caribe Mistério nas Caraíbas 1964
At Bertram's Hotel O Caso do Hotel Bertram Mistério em Hotel de Luxo 1965
Third Girl A Terceira Moça Poirot e a Terceira Inquilina 1966
Endless Night Noite Sem Fim Noite Sem Fim 1967
By the Pricking of My Thumbs Um Pressentimento Funesto Caminho para a Morte 1968
Hallowe'en Party A Noite das Bruxas Poirot e o Encontro Juvenil 1969
Passenger to Frankfurt Passageiro para Frankfurt Passageiro para Frankfurt 1970
Nemesis Nêmesis Nemesis 1971
The Golden Ball and Other Stories (15 contos - só EUA) A Mina de Ouro 1971
Elephants Can Remember Memória de Elefante Os Elefantes Não Esquecem 1972
Postern of Fate Portal do Destino Morte pela Porta das Traseiras 1973
Poirot's Early Cases (18 contos) Os Primeiros Casos de Poirot Ninho de Vespas 1974
Curtain Cai o Pano Cai o Pano (O Último Caso de Poirot) 1975
Sleeping Murder Um Crime Adormecido Crime Adormecido 1976
The Under Dog, Second Gong, Sanctuary and Other Stories Poirot Sempre Espera e Outras Histórias 2008
Spider´s Web A Teia da Aranha

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Hoje na TV Cultura e site



Programa e site sobre a nova ortografia extraido de Blogseducativos



Volta às aulas na TV Cultura: professores e alunos podem retornar à
sala de aula sabendo tudo sobre o novo acordo ortográfico*

/“Nossa Língua” faz um resumo sobre as principais mudanças que irão
acontecer na Língua Portuguesa /

Depois das férias, professores e alunos terão a chance de voltar à sala
de aula com as principais mudanças do novo acordo ortográfico na ‘ponta
da língua’. É que a *TV Cultura* preparou uma *edição especial *do
*/Nossa Língua/*, que une em um só programa as alterações mais
importante que irão acontecer na Língua Portuguesa. Apresentada pelo
consagrado professor Pasquale Cipro Neto, a atração será exibida na
próxima *segunda-feira (02/02), às 19h30*.

Nos módulos sobre a nova ortografia, o público confere o que mudou em
nosso idioma com relação ao uso do acento diferencial e do hífen; a
eliminação do trema; e a reintrodução das letras K, W e Y no alfabeto.
Em outro bloco, Pasquale recebe o professor doutor em Letras e Relações
Internacionais e Presidente da Comissão de Língua Portuguesa do
Ministério da Educação *Godofredo de Oliveira Neto*, que comenta a
importância da unificação da Língua.

O programa traz ainda os depoimentos da Ministra de Educação de Cabo
Verde, *Vera Duarte*, que fala da importância desse acordo para o seu
país; e da autora *Tatiana Belinky*, que comenta sobre as novas regras
do ponto de vista da escritora. Mas as novidades não param por aí. Os
telespectadores também podem acompanhar todas as mudanças da Língua
Portuguesa por meio do site www.tvcultura.com.br/plantaoortografico
, que contém a listagem
das alterações do idioma e vídeos explicativos do professor Pasquale.

*Gerência de Comunicação Corporativa da Fundação Padre Anchieta *

Alexani Barbosa

Claudia Pereira

Vânia Barboni

Aline Cerri
Dicionário inFormal

O dicionário de português gratuito para internet, onde as palavras são definidas pelos usuários.
Uma iniciativa de documentar on-line a evolução do português.
Não deixe as palavras passarem em branco, participe definindo o seu português!


http://www.dicionarioinformal.com.br/

About Me

Minha foto

Sou professora de Língua portuguesa.

Entrevistas com autores brasileiros

http://www.cronopios.com.br/perfil_literario/

Minha lista de blogs

Itens compartilhados de joyce

Páginas